Uncategorized

Dois corações.

photo-1455539084491-2d02703d31ce

Vivemos numa geração de mal amados. Sim, mal amados. Quanto menos sentir, melhor. Demonstrar? Isso nunca! Gostar eu até gosto… Mas vou guardar pra mim. Um ferindo o outro pra ver quem sai ileso da situação, e por aí vai. A empatia deu lugar ao desinteresse; às vezes, um desinteresse bem interessado; mas o orgulho entrou na frente de tudo e reprimir os sentimentos virou moda.

A frieza tomou conta dos corações. Ninguém se importa com nada, se o outro tá bem ou não, se precisa ser ouvido, tranquilo, só mandar um “tamo junto” que resolve. Esqueceu-se de estar junto mesmo, ali, lado a lado na parceria. Ligar? Sai fora… Tô ocupado demais pra isso! A geração do “demorou pra me responder? Vou demorar o dobro”… E abrimos a brecha por coração resfriar.

Quando temos a sorte de esbarrar com alguém que transborda o que sente ficamos encantados. Gente que não tem medo, que não dá lugar pra insegurança, gente de peito com espaço pra dois corações. Aquela pessoa que a voz tem a calmaria do Espírito Santo. O coração pula, quer gritar, abraçar a alma. E por que não sermos nós essas pessoas? Um simples “bom dia”, “se cuida”, “fica bem” muda o dia de qualquer pessoa e, na maior parte das vezes nós não valorizamos esses detalhes, ou nem se quer oferecemos eles a alguém. Nunca sabemos o que o outro passa então o correto é sempre tratar bem, ou para colaborar com a felicidade, ou pelo menos não contribuir com a tristeza. Todos nós enfrentamos guerras, nem sempre estamos nos melhores dias, mas com calma as coisas se ajeitam. Precisamos ter estrutura pra ser a base de alguém.

Tornou-se um ciclo vicioso: “se alguém me trata mal eu trato mais ainda”; “não me deu atenção? Eu nem quero saber o porquê, não vou dar também”; “não quero ouvir o outro, mas eu preciso desabafar, e agora?” e já era. O ciclo do desinteresse começa. Ninguém mais carrega em si o interesse de ver o outro sorrir, de ver o outro bem, mesmo que eu não esteja 100%… essa época passou! Estamos no século das pessoas rasas, nada demais, tudo de menos, e quanto menos, melhor pra mim! ERRADO. Pessoas alegres alegram, pessoas compreendidas compreendem, pessoas amadas amam… E Ele nos amou primeiro! Amou-nos com a intenção de que amassemos uns aos outros. A melhor maneira de despertar o sentimento de alguém é sendo o exemplo, amando primeiro. Fazer alguém sorrir, ouvir um “obrigado por isso” é sem igual, experimenta! Seja aquela pessoa que taca os problemas pela janela pra abraçar o problema do outro; enquanto cuidamos de alguém, Jesus cuida da gente. Vamos começar a reverter o ciclo pra um âmbito bom!

Demonstrar os sentimentos, em qualquer relacionamento, é fundamental. O coração humano gosta de calor emocional, da paz de um abraço, de ganhar atenção gratuita, sem exigir nada em troca, apenas amar. Temos que ser curados para curarmos o outro, esquecer essa de reciprocidade, “se fizer eu também faço”, e lembrar que quem retribui é Deus. A única forma de amar é amando! “Ah, mas fulano não valoriza o que eu faço” CARA, PARA COM ISSO, todo dia Jesus faz o máximo pela gente e nem agradecemos, Ele fez tudo pra gente que não merecia nada, o mínimo que podemos fazer é tentar ser parecidos com Ele, amando quem, muita vezes, não vai valorizar.

O amor em si é feito o mar. Imensurável, lindo pra quem olha de fora e aventureiro pra quem sabe mergulhar. No começo é raso, calmo, e quando nos damos conta já fomos levados pelas ondas, o importante é estar em sintonia a elas. Agitado até demais; perigoso pra quem não sabe nadar, mas perfeito pra quem não tem medo de se molhar. VALORIZE OS MÍNIMOS DETALHES, porque estes sim fazem a diferença. Não ouça os gritos, o amor é de sussurro, baixo, tranquilo… Traz paz pra alma.

Tenha como objetivo ser alguém melhor a cada dia. Em Tiago diz que a nossa religião deve ser amar ao outro sempre, ajudar quem precisa, ter empatia por toda e qualquer pessoa, abrir o peito pro nosso coração caminhar lado a lado com o Dele. Então, bora por a palavra em prática! Fácil não é não, eu sei, mas se a gente vai juntinho com Jesus fica tudo bem! É clichê, mas o Amor é importante!

Um beijo com MUITO amor pra vocês,

Tha Marques.

 

You Might Also Like...