Aleatório

E se ninguém estivesse olhando?

Há um tempo atrás conversando com um amigo sobre a exposição que nossa geração se disponibiliza em viver, ele levantou uma reflexão que até hoje me consome: “Será que faríamos tudo o que fazemos pra Deus se não existisse uma câmera pra registrar tudo?”.
Creio que existe uma necessidade profunda e urgente em mim e em você, uma necessidade de pararmos um pouquinho pra pensar no que temos exposto ao mundo. “Cami, mas meu Instagram só tem Jesus!”. Será? Será que você não tem maquiado suas carências e vaidades com o nome de Cristo? Quanto tempo que você lê a bíblia sem tirar uma foto para postar no Snapchat e afins? Será que suas selfies não tem sido um pouco ousadas pra uma legenda que propaga a Palavra de Deus? Meninos entram nesse mérito também, viu?! Será que você falaria tanto de Jesus nas redes sociais se não existisse status nenhum por trás disso? Ou melhor, será que você fala de Cristo pra sua família e amigos reais na mesma intensidade que posta? Será que você tem vivido essa intimidade toda com Jesus?
Pesado né?! Eu sei! Por que cada pergunta dessa eu fiz a mim há um ano atrás. E sabe qual resposta eu tive? Foi essa daqui: “intimidade que vem à público é conhecida como pornografia”. Essa frase não é minha e eu não lembro onde eu a ouvi, mas sei que a carapuça serviu. Ela está servindo aí também? Então calma, já te falo como se livrar disso.
Existe uma coisa em nós que se chama “auto sabotagem”, isso acontece quando temos feridas na nossa alma que nos fazem (sem perceber) buscar por atenção e alimentar nosso ego e autoestima das mais variadas e erradas formas possíveis! Sem nos dar conta, estamos vendendo nossa intimidade por atenção de quem não tem relevância real em nós. De repente estamos pensando demais em estratégias para conquistar mais likes/views/retweets, e começamos a vender quem fomos de fato, criados para ser! Quando paramos para ver, nós estamos todos com o mesmo corte de cabelo, mesmas roupas, modo de falar, ouvindo as mesmas músicas, lendo as mesmas coisas, enfim: fazendo as mesmas coisas. Onde foi parar nossa a identidade?
Sabe, nos preocupamos tanto em ser descolados que acabamos nos colando à outros padrões, porque hoje até para ser “diferentão” existe um padrão! Nos preocupamos tanto em não ser religiosos, que criamos uma outra religião “sem religião”. Calma, estou entrando num paradoxo que não quero entrar nesse post.
Lembra que prometi pra você que falaria como se livrar disso? Bom, a primeira coisa você já fez: refletiu. Refletir sobre nossas atitudes de forma crítica e consciente nos faz ter uma nova perspectiva da vida que vivemos e até nos faz mais criativos, porque nos leva à viver dentro de novos desafios e situações. A segunda coisa é reconhecer. Precisamos ser bem cirúrgicos nessas horas. Reconhecer cada pensamento que tivemos, estratégias que traçamos para saciar a vontade dos outros, saciar aquilo que os outros aceitariam, e não o que nosso Criador nos fez pra ser.
A terceira é um passo bem prático: se livrar de tudo o que você postou que não foi 100% por você. Sabe aquela foto que você se maquiou, arrumou o quarto, fez aquela pose pensando nos likes que você receberia? Sabe aquele post que você deu uma “inventada” em cima pra ter mais impacto e assim mais likes? Então! Se livra disso tudo! Sem dó! Estamos falando da essência que Deus colocou em você! Ela está contaminada! Você não tem vivido o ideal do Aba! Ei, sem pena, ok? Likes não levam ninguém pro céu, mas uma vida de entrega e total de disponibilidade… Ah! Isso sim leva!
O processo não acaba por aqui. Decidir viver uma vida no secreto com Deus é algo que fazemos todos os dias. Se preocupe mais com o que Ele pensa de ti. Antes de existir na Terra, você antes existiu nEle. Eu corro nessa jornada em busca da minha essência já faz um tempo. E aí? Você vem comigo?
É necessário que ele cresça e que eu diminua. João 3:30

Um beijo e um queijo,
Cami Cabañas

You Might Also Like...

  • Matheus Henrique
    dezembro 8, 2016 at 5:20 pm

    Jesus, que tiro foi esse!?

  • Filipe
    dezembro 10, 2016 at 6:08 am

    Gostei do artigo foi bênção. Especialmente a parte que diz: “intimidade que vem a publico se chama pornografia”. Realmente, a maioria de nós, se não todos temos expostos demasiadamente nossas vidas nas redes socias, deveriamos ter uma vida mais secreta no bom sentido. Me recordo inclusive de uma pregação do pr lucinho barreto que trata sobre isso especificamente “O poder de uma vida secreta”.

  • Ari
    dezembro 14, 2016 at 2:21 pm

    Um dos melhores textos que já li. Precisamos ser libertos pela verdade (JESUS) e nem sempre vai ser gostoso, né?!
    Deus abençoe. Amei, amei!!