Devocional Vida Cristã

“Até o último homem”.

Se você ainda não viu esse filme, no texto contém algumas informações pertinentes a algumas cenas e spoiler do final da história.


Acabei de assistir ao filme Até o Último Homem | Hacksaw Ridge, a história se resume em um médico do exército americano que, durante a Segunda Guerra Mundial, se recusa a pegar em armas. Durante a Batalha de Okinawa ele trabalha na ala médica e salva cerca de 75 homens.
Desmond Doss um jovem adventista, se alistou para o exército e manteve sua fé intacta, mesmo quando foi afrontado com a notícia que ele haveria de treinar com armamentos, também foi atacado por alguns companheiros soldados que zombaram dele e por essa decisão de não pegar em nenhuma arma, e isso o levou a julgamento. Doss não abandonou sua posição, que desde o início era somente ir para a guerra para cuidar dos feridos sem precisar matar ninguém.

Em guerra Doss fez um excepcional trabalho salvando vidas e ajudando soldados feridos, em um determinado momento quando vê um colega morrer ele questiona a Deus qual era o objetivo dele estar lá, e começa a ouvir homens feridos pedindo ajuda. Começou a resgatar feridos e ajuda-los a chegar em uma base segura onde estavam alojados, mas um detalhe que me chamou muito a atenção foi quando ao resgatar o primeiro homem, Doss faz uma oração: “me ajuda a salvar mais um“, e mais feridos começaram a aparecer, e quanto mais resgatava soldados (sozinho e sob condição de ataque do oponente), ele continuava a orar “me ajuda a salvar mais  um“, e novamente surgiam mais homens a serem resgatados e foi aí onde o Espírito Santo falou comigo: “todos deveriam orar assim”.

Doss salvou cerca de 75 homens quando todos os soldados já tinham descido pra base.
Imagine só, como seria uma geração de Doss?

O problema é que os soldados desceram pra ficar seguros e deixaram os feridos.

As vezes me senti como o Doss, sozinha em meio a guerra. Lidei com a frustração de ver pessoas recusando me ajudar a salvar vidas porque não “aguentariam” lidar com as feridas dos outros, (isso aconteceu de verdade), e voltaram pro lugar de conforto.
Mas também já fui quem voltou pra base pra ficar segura.
Ir pra zona de conforto é muito mais fácil do que voltar pra zona de ataque.

E se houvesse uma geração (começando por mim), que orasse todos os dias ao Senhor dizendo: “me ajuda a salvar mais um”, e Ele enviasse mais feridos a procura de ajuda?
E se cada cristão fosse como Doss, (começando por mim novamente), e salvasse 75 feridos por dia?

Mas cada cristão salva quantos feridos por dia?

Eu salvo quantos feridos por dia?

Você salva quantos feridos por dia?

Tudo começou com um processo! Doss não abandonou sua fé, era nítido que ele sabia para o que iria pra guerra. Ele sabia qual era seu chamamento, ele era um médico.
Qual é o meu chamamento para a guerra? Salvar vidas na esfera das mídias sociais com a publicidade e design? Qual é o seu chamamento pra guerra? Com a psicologia, advocacia, política, com a ciência, pedagogia, medicina, artes, arquitetura e etc…

Quando atentarmos ao processo de saber quem somos e para o quê fomos chamados, conseguiremos não abandonar nossa fé mesmo quando alguém diz que está errado, mesmo quando alguém diz que não somos capazes, mesmo quado dizem que não podemos fazer Deus quer que façamos.

Depois de nos certificarmos a repeito do nosso chamamento, seremos equipados, e iremos á guerra.

O IDE é o chamamento para todas as pessoas independente de qualificação, ou seja, você querendo ou não está alistado e já foi convocado para guerra, o seu chamado pessoal é em qual posição você pode atuar em campo.

Tudo isso está claro pra você?
Se sim, parabéns, mas o Senhor manda você se posicionar e ir para o ataque.
Se não, o Senhor pede pra você ouvir dEle qual é sua posição.

Quero correr mais riscos no ataque, quero ser mais Doss, quero salvar mais um todo tempo. É pra isso que fui criada, pra ser como Jesus, e Jesus salvava mais um toda hora.

Abraço de urso.
Mars.

You Might Also Like...

  • Tatiana Silva
    Maio 15, 2017 at 12:45 pm

    Esses textos sempre me inspiram, que lindo!
    Todo cristão deveria carregar consigo a certeza de ter um chamado missionário, esse sentimento deve nascer conosco a partir do momento em que encontramos Jesus, se não surge em nosso coração a vontade de salvar os outros e ministrar o amor de Deus, algo está errado, muito errado!

  • Ordep
    Maio 15, 2017 at 10:43 pm

    Esse filme é MT bom mesmo,sou ateu mas mesmo assim o filme não perde a essência
    A forma como é demonstrada a fé dele é incrível,uma das melhores encenações sobre a segunda guerra mundial que já vi,as cenas do filme fazem com que você realmente se sinta no meio de toda aquela confusão,sentindo todos as aflições e sofrimentos dos soldados,o tempo do filme é longo,mas não me senti cansado ao decorrer do filme.
    Super recomendo.

  • Nice
    Maio 26, 2017 at 2:23 pm

    Estou conhecendo agora o Blog e sinceramente nunca um texto falou tanto comigo, me fez refletir e espero que ajude a responder as questões que tenho perguntado para Deus, ele sabe de todas as coisas e acredito que sim, foi Ele que me fez acessar esse blog e ler esse texto, estou com muita sede de ganhar almas para Jesus, fazer algo para o reino de Deus, mas sempre penso que me falta tempo, mas oque me falta mesmo é atitude e gostaria que orassem por mim, pois sei que a oração é a chave para que possamos enfrentar nossos medos e fraquezas e seguir em frente, fazendo algo útil para as pessoas, servindo como Jesus fez,. Com amor , a paz de cristo a todos. Ass. Nice