Devocional Vida Cristã

Como se livrar dos pecados de estimação.

Porque demonstrar nossas fraquezas é um motivo de desapontamento?
Hoje, quase ninguém chega para seus líderes na Igreja e fala sobre pecado, principalmente os que tem cometido, quase ninguém é capaz de chegar em um amigo e compartilhar uma fraqueza, porque estamos muito acostumados a pensar sobre o quão preparados estão para começar a julgar.
Há pessoas que ficam por anos e anos escravos dos mesmos pecados, porque não sabe vencer sozinho, porque não pode contar com ninguém e não sabe onde pedir ajuda.
Assim como vemos pessoas na rua andando de muletas e nos compadecemos dessas pessoas, deveríamos abraçar um irmão com um pecado, deveria ser tão natural quando se compadecer de outras pessoas com outros tipos de problema. Afinal, existe peacadinho ou pecadão? O meu pecado é maior ou menor que o seu? A minha intimidade com Deus é maior ou menor que a sua?
Esse tipo de coisa NÃO SE MEDE!
Nós não viemos com uma espécie de “termostato” indicando qual nosso nível de intimidade com Deus ou qual é o nosso nível de pecado. Deus poderia muito bem colocar um indicador de santidade ou de pecado em nós e não fez isso, justamente para que olhássemos todos com os mesmos olhos, assim como Ele é o Criador de todas as pessoas e nos olha igual. Não há filhos preferidos, é um mesmo amor.

Hoje, todo mundo tem que ser perfeito? Ninguém pode errar? Ninguém pode falhar e ninguém pode não corresponder ás expectativas? “Poxa, eu esperava tanto de fulano e olha lá, caiu! errou! pecou!”.
TEMOS QUE PARAR COM ISSO!
Falar sobre erros, falhas e pecados, não tem que ser errado, não tem que ser motivo para julgamento, não tem que ser esse tabu todo.
É um peso desnecessário se nós julgamos alguém que falhou e pecou. E que desnecessário!

Há especificadamente duas maneiras de acabar com os pecados de estimação das nossas vidas.
1° – Confessando nossos pecados para Deus e pedindo perdão.
Em 1 João 1.9 diz: “Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça.”
Então, em primeiro lugar, se nos achegarmos em Deus e confessarmos nossos pecados, somos perdoados e purificados.
2° – Confessando nossos pecados a alguém e orando.
Tiago 5.16 diz: “Portanto, confessem os seus pecados uns aos outros e orem uns pelos outros para serem curados. A oração de um justo é poderosa e eficaz.
Se portanto confessarmos a Deus e pedir perdão pelos nossos pecados somos perdoados e purificados, confessar nosso pecado á alguém traz CURA.
Percebe que Tiago 5.16 complementa 1 João 1.9?

Quando nós confessamos no que temos falhado e pecado pra alguém, isso quebra dentro de nós uma coisa muito importante, a coisa que mantém nossa pose de sustentar uma imagem de cristão perfeito, o nosso ORGULHO.
Quando expomos o nosso pecado, expomos também o quão miseráveis e necessitados de misericórdia e graça somos, e essa é a realidade. Precisamos de misericórdia e graça todos os dias. A máscara cai e voltamos para o lugar de onde não deveríamos ter saído, na nossa posição de servos, filhos, porém reconhecidos que se não fosse a misericórdia de Deus, já teríamos sido consumidos. As vezes nós nos esquecemos que mesmo que tenhamos sido disciplinados contra o pecado, ainda não somos um corpo celestial e estamos sujeitos a falhas, mesmo que não queiramos.

Sabe queridos.. Quando falo sobre pecado, é impossível eu não me recordar da redenção e impossível não falar de redenção sem falar de Jesus Cristo.
Enquanto estava na mesa com os discípulos na ceia, em um momento que era de total comunhão e acredito de felicidade também, Jesus disse que ALGUÉM iria o trair.
Perceba, Ele disse “alguém”.
Jesus poderia muito bem dizer que Judas era quem iria traí-lo, afinal, Ele sabia de tudo, inclusive de sua breve morte na cruz.
Mas quando Jesus disse “alguém”, ele colocou todos os que estavam ali em condição de falha, e mesmo sabendo de tudo, Ele não negou ninguém de ter um lugar á mesa com Ele, inclusive Judas.
Mesmo sabendo dos nossos erros, pecados e o quanto falhamos, Jesus não nos proíbe de ter um lugar á mesa.

Jesus sabia do pecado da humanidade naquela hora e posteriormente trocou conosco o lugar da cruz, tomando sobre si as nossas dores e pecados, nos redimindo.
Deus antes de tudo, sabia de todas as coisas e mesmo assim, Ele nos amou tanto, que deu seu único filho, por nós.
O amor de Deus por nós é maior que essas nossas falhas. Os meus erros não diminuíram o amor de Deus por mim, nem o sacrifício de Jesus.

Mesmo sabendo que seríamos livres por causa de Jesus, Ele deixou algumas “instruções”, por exemplo: 1 João 1.9 e Tiago 5.16.

Agora, cabe a você decidir se quer ser perdoado, purificado e curado. Porque livre, você já é.

 

 

 

Abraço de urso.
Mars

You Might Also Like...

  • Cah
    junho 23, 2017 at 9:18 pm

    Nuu ! Forte essa palavra.. ♥