Beleza Devocional Vida Cristã

A grama do vizinho é mais verde?

Algum dia você já “desistiu” do seu relacionamento com Deus ou de tentar descobrir o seu propósito, porque pensou que tudo acontece na vida de “fulano” e na sua não?
– “Deus não fala comigo e olha como Deus fala com o fulano no quarto dele..”
– “olha lá a fulana pregando no Brasil todo  e Deus não me fala nada sobre meu chamado..”
– “fulano escreveu que teve uma super experiência com Deus e até hoje não tive nenhuma..”
Essas frases passam pela sua mente? Seja sincero. Aliás, você não está respondendo pra mim, mas para o seu próprio coração.

Já ouvi de pessoas que desistiram de buscar a Deus porque a experiência que fulano teve não aconteceu com ele, ou, que não sente Deus em seu quarto como os amigos dizem sentir.
Já ouvi de pessoas que desistiram de querer ter um relacionamento com Deus porque Deus não faz o que faz na vida de alguém.

Nós vamos nos frustrar sempre que ficarmos de olho no que Deus está fazendo na vida do próximo.
Há pessoas que vigiam tanto a vida de outra que perdem o que Deus está fazendo em sua própria vida.
Nós somos diferentes um do outro e assim como ninguém no mundo tem digitais semelhantes as nossas, o que Deus tem pra nossa vida é único. Devemos entender que: há um tempo específico para todas as coisas, o que fulano está vivendo faz parte do processo e do tempo de Deus pra ele.

E quem um dia já se questionou: “porque não nasci igual fulano?”..
E a resposta é simples: Deus é intencional em tudo que Ele faz. Cada ponto do nosso corpo, identidade, alma e espírito, foram traçados por Deus e tudo em nós faz parte das intenções de Deus e é bom lembrar que o Pai sempre, sempre tem intenções lindas á nosso respeito, por mais que nós não enxerguemos, temos predicados que o próprio Deus colocou em nós, e o maior motivo é, porque Ele nos ama.

Responda: porque Deus criou o ar?
A resposta mais obvia é: pra que pudéssemos respirar e nos manter vivos.
E porque Deus criou a água?
Ou se não, porque Deus colocou olhos, nariz, boca, dentes em nós?
Podemos ir mais fundo nas Escrituras e dizer: porque Ele nos criou à sua imagem e semelhança.
Ok, vamos lá, se o Pai nos criou semelhantes a imagem dEle, agora me responde: há alguém como Deus?
Não!
O Senhor é único. Único Deus. Único Criador. Único Rei. Único Pai.

Por mais que as vezes o nosso chamamento seja parecido com o de alguém, jamais será igual. Você pode tocar guitarra e outras milhares de pessoas também, mas Deus imprimiu uma identidade única do céu em você e por isso você vai usar seu instrumento de maneira diferente.

Imagine um campo verde, e só tem uma árvore nesse campo, imaginou? O campo que você imaginou é absolutamente diferente do campo que eu imaginei. Nenhum pensamento é igual ao outro, nada no mundo é exatamente igual à nossa imaginação e isso é comprovado pela teoria da comunicação relativa, ninguém jamais irá imaginar algo 100% igual a outra pessoa.

Muitas pessoas imaginaram um campo e uma árvore, a única coisa semelhante que você tem com essas pessoas, é que você sabe o que é um campo e o que é uma árvore, mas o que nos diferencia é que a nossa concepção sobre cada item é completamente diferente de todos.

Entendem?
Somos filhos do mesmo Pai, mas somos filhos diferentes um do outro.
Temos um mesmo Pai que ama igualmente á todos nós, porém, temos vidas, processos, chamado, totalmente diferentes.

Quanto tempo mais iremos perder observando as coisas lindas que Deus está fazendo na vida de alguém?
Quanto tempo mais iremos perder por questionar “porque não eu?”.
Quanto tempo ainda gastaremos presos desejando aquilo que ta acontecendo na vida de alguém?

Nós devemos ser persistentes e intencionais com Deus em tudo que oramos e da forma como estamos vivendo.
Devemos colocar o nosso coração no lugar e entender que somos nós que dependemos do Pai e não Ele de nós.

A nossa vida tem um motivo e Deus tem uma utilidade linda pra cada um de nós, mas tudo aponta para Jesus. Tudo se inicia em Jesus e tudo termina em Jesus.
Se há um modelo que devemos parar e observar e aprender e imitar, é a pessoa e o ministério de Jesus Cristo. Quanto mais gastarmos tempo persistindo em querer amar Jesus não pelo que Ele pode fazer mas pelo que Ele é, mais encontraremos o nosso EU nEle. Vale a pena destacar no texto, que uma das primeiras coisas que vamos entender sobre a vida de Jesus e seu ministério, era sua total e completa dependência de Deus. Jesus só fazia o que via o Pai fazer.

Precisamos depender mais para acalmar nosso coração, viver um dia de cada vez para Ele, e fazer com que nossa vida seja vivida propositalmente e não somente para existir.

Você tem um chamado sim.
Você é ouvido e é amado sim.
Deus está presente em seus momentos de oração sim.

E se algo em sua cabeça te diz o contrário, gostaria de convidar você a expulsar isso que diz que é mentira.

Você pode sim gostar de se vestir semelhante ao fulano ou fulana, isso não é errado, apesar de ser bastante banalizado, errado é você querer ser essa pessoa. Se fulano usa Vans e prega e você também gosta disso, saiba: estarmos disponíveis para que o Espírito Santo fale através de nós, veja através de nós, toque através de nós, mude através de nós, é o que nos torna totalmente diferente de qualquer semelhança visual que podemos ter com alguém.

Se você ser você, cultivar e persistir em seu relacionamento pessoal com Deus e deixar que o Espírito Santo dirija completamente sua vida, á ponto que você perca o controle (e esse tem que ser nosso objetivo), todas as coisas serão diferentes.

Não desista de falar com Deus porque você não o ouve ou sente como outra pessoa. Nesse exato momento Deus já está fazendo algo em você porque te ama.
Mova seu coração para o agora, tente agradecer até pelo silêncio, mas persista até ouvir alguma palavra.

 

Um abração.
*de urso*.

Mars

You Might Also Like...

2 Comments

  • Reply
    Camila
    outubro 2, 2017 at 3:31 pm

    Era TUDO que eu precisava ouvir/ler. Deus é extremamente bom até no silêncio. Que não desistamos, perseverança sempre!
    Obrigada!!!

  • Reply
    Fabiana
    outubro 4, 2017 at 1:38 am

    Eu gostei muito deste texto

  • Leave a Reply